ads_1200x500_03

Que o aleitamento materno traz inúmeros benefícios para a vida do bebê, você já deve estar cansada de ouvir. No entanto, que a amamentação oferece benefícios que atuam na saúde da mãe ainda pode ser novidade. Amamentar faz bem tanto para a saúde física, quanto para a saúde mental das mamães, por isso, esse período é tão importante. Entenda um pouco melhor quais são os benefícios e por que você não deve desistir de tentar amamentar:

     – Fortalecimento do vínculo: a amamentação fortalece o vínculo entre mãe e filho, colaborando assim para que o pequeno se relacione melhor com outras pessoas.

     – Desenvolvimento psicológico da criança: segundo os pesquisadores, a substância leptina, presente no leite materno, ajuda a combater o estresse. Os bebês que são amamentados por mais de 6 meses desenvolvem melhor a saúde mental da infância até a adolescência.

     – Formação do sistema digestivo do bebê: através do aleitamento materno, o recém-nascido recebe a molécula chamada PSTI, responsável pela proteção e formação do intestino sensível dos pequenos. Além de ser uma substância que já conhecida pelo organismo do bebê.

     – Prevenção da mãe contra o câncer de mama: foi comprovado pela Universidade de Granada, na Espanha, que o aleitamento materno por mais de seis meses protege as mulheres contra o câncer de mama por longos períodos.

     – Redução do risco de doenças cardiovasculares: estudos realizados pela Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, mostraram que a amamentação protege a mãe contra doenças cardiovasculares. Mais de 140 mil mulheres foram analisadas e aquelas que amamentaram por mais de um ano apresentaram 10% a menos de chance de desenvolverem essas doenças.

     – Auxílio na recuperação do útero: amamentar também auxilia no desprendimento da placenta, o que contribui para que o útero volte ao seu tamanho normal. Com isso, evita o sangramento excessivo e impede que a mãe sofra de anemia.

     – Fortalecimento da imunidade do bebê: o leite materno contém células de defesa e fatores anti-infeccioso que protegem o organismo do recém-nascido. Os pediatras afirmam que as infecções comuns nos primeiro meses afetam menos os bebês que são amamentados.

É possível percebemos tamanha diferença que a amamentação faz na vida dos pequenos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que:

     – As crianças façam aleitamento materno exclusivo até aos 6 meses de idade. Ou seja, até essa idade, o bebê deve tomar apenas leite materno e não deve dar–se nenhum outro alimento complementar ou bebida;

     – A partir dos 6 meses de idade todas as crianças devem receber alimentos complementares (sopas, papas, etc.) e manter o aleitamento materno;

     – As crianças devem continuar a ser amamentadas, pelo menos, até completarem os 2 anos de idade.

Atualizado em 26/02/2016

Sem comentário