Tired Mother Suffering From Post Natal Depression

Os dias mais felizes da vida dos pais podem ser os primeiros dias com o bebê que acabou de chegar, mas também podem ser os mais difíceis. Durante o puerpério ou pós-parto há privação de sono, muito cansaço e uma rotina completamente nova, além das emoções que ficam à flor da pele. É só voltar para casa com o recém-nascido para perceber estas dificuldades.

A falta de sono, a insegurança ao ver um ser tão indefeso chorar e não saber o motivo, a amamentação que pode ser um grande desafio e o corpo em recuperação do parto, são algumas das dificuldades enfrentadas. Além disso, ainda tem a atenção a ser dada para o companheiro.

O puerpério (normalmente as primeiras seis a oito semanas após o parto) é um período necessário. Um momento para que mãe e bebê se reconheçam e encontrem seu caminho.

Nesse período, o ideal é que a mulher possa dedicar-se exclusivamente ao bebê, desligando-se das outras atividades.  Assim, ela poderá descansar quando ele dormir, alimentar-se bem e começar a compreender o novo membro da família. Para isso, é essencial que você conte com o apoio da família. É importante que tenha alguém para realizar os afazeres domésticos, cuidar da alimentação ou até mesmo ficar um pouco com o bebê para que você possa dormir.

Neste período também ocorre uma turbulência hormonal o que caracteriza o chamado baby blues, marcado por melancolia, tristeza e choro, mas que passa quando os hormônios voltam a ficar controlados. Entre 10% a 15% das mulheres apresentam depressão pós-parto, uma doença grave e que precisa de tratamento. É nesta hora que o apoio da família é essencial, juntamente com a orientação de profissionais especializados.

A dica para tentar estar pronta para o puerpério é saber que, independentemente da sua personalidade, da sua configuração familiar, ou do tipo de parto que terá, você estará diante do novo, do desconhecido. Aceite o ritmo do seu filho  e estabeleça a relação com ele. Entregue-se e confie.
Conheça alguns sintomas no pós-parto

Mamas e temperatura

colostro (ou primeiro leite materno) pode estar presente desde a segunda metade da gravidez ou surgir apenas nos primeiros dias após o parto. A temperatura pode elevar-se até aos 38ºC durante 24 horas. No terceiro dia pós-parto, aproximadamente, o peito pode ficar mais cheio e firme e é possível que sinta um desconforto. Gradualmente, o seu corpo ajusta-se e começa a produzir exatamente a quantidade necessária para o seu bebê.

Compressas geladas após a amamentação podem aliviar a dor. Para as mamães que produzem muito leite, realizar a ordenha retirando um pouco do leite até esvaziar as mamas também é de grande ajuda. Lembre-se que o sucesso da amamentação está na pega correta do seu bebê.

Dor abdominal

Na primeira semana pós-parto, as cólicas abdominais podem causar algum desconforto intensificando-se nos períodos de amamentação. A produção de ocitocina (hormônio que estimula a secreção do leite materno) estimula a contração do útero o que pode provocar dores e desconforto abdominal.

Aparelho urinário

De acordo como o trabalho de parto decorreu poderá ter ou não dificuldade em urinar. Mas fique tranquila que logo após as primeiras semanas, tudo voltará ao normal. É muito importante redobrar a atenção à sua higiene íntima nesse período.

Atualizado em 08/12/2016

Sem comentário