Cada criança tem um ritmo diferente de desenvolvimento mas é natural que surjam as comparações e que os pais se preocupem se está tudo certo com seu filho.

Pode ser difícil separar o que é um verdadeiro atraso no desenvolvimento e o que é simplesmente uma particularidade. Os pais e as pessoas que convivem com a criança podem ser os melhores observadores para identificar uma causa que precise ser investigada.

Alguns pais se preocupam porque os filhos dos outros engatinham ou falam primeiro que os seus filhos (sendo essas as dúvidas mais comuns). Mas se algo for identificado e tratado bem cedo, ajudará a reduzir eventuais complicações.

O atraso no desenvolvimento pode ocorrer nas seguintes áreas:

     ♦  Coordenação motora ampla (habilidades físicas como rolar, sentar e andar)

     ♦  Coordenação motora fina (capacidade de segurar as coisas, manipular objetos)

     ♦  Linguagem e fala (tanto a compreensão quanto a fala)

     ♦  Habilidades sociais (relacionamento com outras pessoas)

     ♦  Capacidade de autocuidado (vestir-se, usar o banheiro)

O acompanhamento com o pediatra é fundamental para ter certeza de que a criança está se desenvolvendo como o esperado.

Em algumas situações, o atraso no desenvolvimento está relacionado com  complicações de um nascimento prematuro ou uma condição genética como a síndrome de Down ou outras síndromes.

Problemas na fala e na linguagem podem ser causados por dificuldades na audição, questões físicas ou neurológicas ou ainda transtornos cognitivos.

Problemas de visão podem ser a causa de alguns atrasos, e são difíceis de perceber.

Pediatras, neuropediatras, fisioterapeutas, ortopedistas e fonoaudiólogos costumam ser os profissionais envolvidos em diagnóstico e opções de tratamento.

Quanto mais rapidamente a criança receber terapias adequadas, maior a chance de reduzir o impacto do atraso neuropsicomotor.

O desenvolvimento mês a mês:

12 a 15 meses: nessa fase a maioria dos bebês já estão andando. Algunss conseguem até correr. A coordenação motora fina está cada vez mais apurada, o bebê consegue segurar um lápis e fazer alguns rabiscos. Os bebês mais espertos já falam algumas palavras. Outros não falam, mas já sabem se expressar por gestos. Conseguem demostrar sentimentos como abraço, beijos ou até mesmo fazem birras quando contrariados.

15 a 18 meses: nessa idade todas as crianças já deram seus primeiros passos. Adoram correr, sentar e levantar sozinhos. Adoram também abrir e fechar portas e gavetas, são extremamente curiosos. Passear com os pequenos nos parquinhos e brincar no escorregador, por exemplo, estimula o equilíbrio e a criatividade. As crianças já falam pelo menos 10 palavras e alguns conseguem construir pequenas frases. Muitas crianças já começar a querer comer sozinhas.

18 a 24 meses: o desenvolvimento motor e o equilíbrio estão mais aguçados. Pulam, gostam de brincar de roda e esconde-esconde. Gostam de pintar, desenhar, brincar com peças de encaixe, construir castelos. A grande maioria já fala e adoram ouvir histórias e cantar.

A partir dos 2 anos é comum que as crianças tenham tenham algum medo como de animais, lugares escuros ou pessoas estranhas, por exemplo. Ajude seu filho a superar seus medos, insentivando-o  a expressar seus sentimentos e demonstrando confiança ao mundo. Converse bastante com ele. Lembre-se que até os 3 anos a criança vive num mundo mágico, todo seu e não existe diferença entre a realidade e a fantasia. Fique sempre alerta para que a criança não fantasie ao extremo.

#AtrasonoDesenvolvimentodaCriança #Amamente

 

Atualizado em 30/06/2017

Sem comentário