A Gravidez Tardia

Por mais que os médicos alertem sobre os riscos de uma gravidez após os 35 anos, os números mostram que esse comportamento tem crescido e se tornado frequente.

A maioria das mulheres tem se dedicado primeiramente à profissão e a gravidez acaba ficando num segundo momento. O sonho de ser mãe chega somente após essas mulheres conquistarem um espaço no mercado de trabalho e obterem uma posição financeira estável.

No entanto, após os 35 anos, existe a diminuição acentuada dos óvulos e, por esse motivo, a gravidez é mais difícil aos 40 anos. Além do risco de aborto espontâneo ser maior nessa idade, existe também o risco de anomalias genéticas como a Síndrome de Down, de Edwards, entre outras.

Por isso, o caminho escolhido pela maioria dessas mães é a fertilização in vitro, que permite identificar o risco de anomalias genéticas antes do embrião ser implantado.

Uma outra questão alarmante para as mulheres após os 40 é o risco de desenvolverem uma diabetes gestacional ou sofrerem de pressão alta durante a gestação. Logo, são fundamentais os cuidados com o metabolismo e o preparo físico antes da gravidez. Numa gestação mais tardia, o acompanhamento durante o pré-natal é mais intenso, as consultas são mais frequentes e os exames são mais específicos.

Apesar dos riscos, a gravidez tardia tem suas vantagens. A mulher tem mais disposição para amamentar. Tudo é mais planejado. A mulher se considera mais preparada para receber um filho e para cuidar dele. Segundo médicos e psicólogos, o aspecto emocional é muito importante para o sucesso da gestação.

#Amamente #AGravidezTardia

Atualizado em 09/05/2017

Sem comentário